Conceito

Simon Lau Cederholm

o cerrado sob um olhar nórdico

A minha intenção sempre foi de interpretar essa paisagem e transformá-la em experiências gastronômicas.

Quando apareceu a chance de abrir o Aquavit no Jardim Botânico, na antiga Casa de Chá, não tive dúvida, aqui temos o quadro ideal para o nosso trabalho.  Toda de madeira e rústica, como as antigas fazendas de Goiás, a edificação é ao mesmo tempo modernista e sofisticada, erguida sob pilotis. Abre-se para a paisagem de jardins, hortas, um cerrado intocado e parece sussurrar: isto é a essência do universo Aquavit.

Através de pesquisas, em colaboração com o Jardim Botânico de Brasília, viagens aos cerrados do interior de Goiás e com a convivência cada vez mais estreita com pequenos produtores e catadores de frutos do cerrado, aprendemos cada dia mais sobre o que o nosso bioma e a cultura gastronômica local, generosamente têm para oferecer.

Os menus degustação com vinhos harmonizados do Aquavit, trocados mensalmente, é o resultado deste convívio. Esperamos que as escolhas que fazemos neste trabalho possam fazer a sua pequena parte para chamar atenção à proteção do nosso cerrado e sobre a cultura e as tradições culinárias de quem o habita. Sempre lembrando que, acima de tudo, tudo isto é feito para excitar os sentidos e oferecer sensações de prazer em momentos raros e únicos que só poderiam ser encontrados aqui, no meio do cerrado brasileiro.

Sejam bem-vindos ao Aquavit, no Jardim Botânico de Brasília.

 

- Simon Lau Cederholm